Coprofagia

Coprofagia

Quem nunca conheceu um cão que tinha aquela mania estranha aos nossos olhos de ingerir suas próprias fezes ou as fezes de outros animais que habitam a mesma residência? Estou falando sobre a Coprofagia, termo chique para o ato de comer fezes. O lobo, parente direto do cachorro doméstico, também possui esse hábito. A coprofagia poderia ser então, um comportamento herdado? Talvez.

A coprofagia é um hábito aceitável e esperado apenas quando as mamães caninas cuidam de seus filhotes e ingerem fezes intencionalmente para que o cheiro não atraia predadores. A coprofagia transitória acontece quando os filhotes estão em fase de crescimento e saem explorando o mundo com a boca. Eventualmente quando amadurecem, deixam esse hábito para trás.

Em quaisquer outras circunstâncias, é importante investigar o motivo que está levando o cão a praticar esse hábito.

Alimentação: Dietas de baixa qualidade geram muitos resíduos e se a digestão não estiver boa, nutrientes ou pedaços de alimentos sairão intactos nas fezes, o que pode ser muito atraente para o próprio animal. A alimentação dos felinos é bastante proteica, o que faz com que suas fezes sejam bastante apetitosas para os cães.

Vermes: A presença de vermes no intestino pode fazer um cão ingerir fezes para recuperar os nutrientes consumidos pelos parasitos.

Fome: Cães podem ingerir fezes simplesmente por estarem com fome. Animais que estão de regime ou comendo uma dieta restrita em nutrientes podem partir para a coprofagia.

Comportamento: Há cães que ingerem fezes por estarem estressados, entediados e ansiosos. Alguns acreditam que punir um cão por fazer cocô no lugar errado, pode fazer com que ele pense que o ato de fazer cocô, em si, é errado e para se livrar do castigo, passe a comer suas próprias fezes.

Para descartar as causas da coprofagia, atente para as seguintes dicas:

  • –  Invista em uma dieta de excelente qualidade.
  • –  Proporcione atividade física regular para fornecer estímulos físicos e mentais e evitar estresse e ansiedade.
  • –  Proporcione brinquedos de tipos variados e estimule-o a interagir com eles.
  • –  Recolha as fezes imediatamente.

– Certifique-se de que seu cão não esteja com vermes.
– Mantenha seu animal sempre saudável e leve-o ao veterinário com regularidade.

A coprofagia não é um hábito agradável para nós, mas também não deve ser motivo para desespero. Descobrir a fonte do problema é primordial e fundamental para nos guiar nas melhores formas de tratamento. Devemos sempre ter paciência e persistência, principalmente quando o cão já tiver esse hábito há bastante tempo.

Marcella C M de Souza
Formada em Medicina Veterinária pela Universidade Paulista em 2009.
Pós-graduada em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas em 2013.
Pós-graduada em Gestão da Comunicação em Mídias Digitais pelo Senac em 2017.

 

1 Comentário

  1. Nina de Souza 2 anos atrás

    Muito bem Marcella!
    Suas colunas são sempre muito esclarecedoras.
    Obrigada por mais essa valiosa informação.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*